Domingos da Guia

por Marcial Salaverry

Barbosa, depois Cláudio, agora , foi o inesquecível Domingos da Guia...

Parece que estão montando uma grande Seleção Brasileira para algum campeonato intergalático. Sem dúvida estaremos bem representados. Nossos grandes ídolos estão partindo... É a lei da vida... Vão-se as pessoas, mas ficam as lembranças. Domingos, o Divino, agora mais divino do que nunca...

Com suas jogadas clássicas e mágicas, fazia o que queria com a bola, que sempre obedecia a seus desejos. Alguém poderá lembrar de seu erro na Copa de 1938, ao cometer o pênalti sobre Piola. Acontece que nossos jogadores nunca foram corretamente instruídos sobre as regras do International Board, e ele não poderia saber que, mesmo sem estar a bola em jogo, o juiz apitaria pênalti naquela jogada. Mas vamos esquecer isso, e somente lembrar sua classe indiscutível. Domingos da Guia nunca cometeu faltas maldosas. Sempre saia jogando com classe, com categoria. Domingos era tão bom que deixou sua classe mais um bom tempo em campo, mesmo após pendurar as chuteiras. Foi um dos poucos grandes craques que permaneceu em campo, através de seu herdeiro. Ademir da Guia continuou a desfilar a mesma classe de seu pai. Em outra posição, mas com a mesma categoria.

Mestre Domingos, sem dúvida alguma, você será o grande titular dessa Seleção Divina. Fica aqui expressa a saudade de todos aqueles que tiveram a sorte de ver algumas de suas jogadas, ou que simplesmente ouviram falar de suas obras de arte. Descanse em paz.

line1.gif (910 bytes)