Carlão

por Marcial Salaverry

Abordamos muito o tema "amor à camisa". Logicamente não é fato de gostar-se da camisa que ganhamos da namorada, mas sim, saber disputar uma competição com garra e dedicação, dando um "algo a mais" pela vitória. "Algo a mais" esse, que somente aqueles atletas que tem brio e vergonha na cara sabem ter. Sem dúvida é muito fácil, para atletas de boa técnica, levar uma equipe à vitória, e receberem os louros por isso, mas, os atletas chamados "fora de série", além da técnica, entregam-se à disputa com garra e dedicação, respeitando a camisa que vestem e, principalmente, à torcida, que procura fazer a sua parte, levando o estímulo para os estádios. A torcida que deixa seu lazer, sua casa, para assistir sua equipe ou sua seleção. O mínimo que os torcedores querem ver é disposição dos atletas para a vitória. Ver sua equipe perder é chato, mas não ver espírito de luta é triste.

Bem, este preambulo, foi somente para exaltar uma figura que merece todo o respeito e carinho da torcida brasileira de modo geral. Queremos falar de CARLÃO, que teve a dignidade de deixar a seleção de vôlei, vencido por uma hérnia de disco, conseguida devido ao esforço e a dedicação com que sempre se entregou aos treinos e às partidas. Sempre foi impressionante a disposição desse grande atleta. Conseguia contagiar os demais jogadores com a força que transmitia, mesmo nestas últimas partidas da seleção, quando o Brasil precisava tirar aquele "algo mais", do fundo do baú para as vitórias necessárias, a figura de Carlão, mesmo no banco de reservas já fazia sua parte. Entrando em quadra, sua fisionomia transparecia as dores que sentia, mas mesmo assim, fez sua parte. Lutou pelas vitórias, contagiando seus parceiros. Maravilha, Carlão! Agora Carlão, esperamos que os "cartolas" tenham a sensibilidade para levá-lo a Sydney, pois sua simples presença ao lado dos demais companheiros, poderá transmitir um pouco de sua garra incomensurável. Mais um recadinho, Carlão. Será que voce poderia "bater um papinho" com as prima-donas da seleção de futebol, para tentar ensinar aos Rivaldos, Roberto Carlos, Vampetas, Elbers, Ronaldinhos, que as vitórias só são conseguidas com uma boa dose de garra e dedicação, além da técnica. Enfim, com AMOR Á CAMISA. Parabéns, Carlão, sua ausência será muito sentida nas quadras. Capitão Carlão, não abandone totalmente a seleção que voce sempre dignificou. Seu lugar está para sempre reservado nos corações de todos aqueles que sabem distinguir os verdadeiros ATLETAS.

line1.gif (910 bytes)