Ainda o Wandeco

por Marcial Salaverry

Sem dúvida alguma, o assunto do momento é o "ilustre" cidadão brasileiro Wanderley Luxemburgo.  Não precisa ser verdade nem a metade do que se diz desse cidadão, que espero  dentro, em breve, seja conhecido como ex-técnico de futebol (não apenas da Seleção Brasileira), para que se aquilate seu caráter.  Aliás, hoje foram publicados dois excelentes e reveladores artigos, a saber: Juca Kfouri, em sua coluna publicada no Lance, abordou com muita clareza e sabedoria, sob o título "O Inferno de Luxemburgo", lembrando muito bem todas as acusações que foram levantadas contra Wandeco.  Ora, será possível que só sejam "acusações falsas e levianas", como ele disse em sua defesa ? É difícil de acreditar em tanta leviandade. E o negócio não é recente, haja visto o famoso caso da "Manicure de Campinas".  O jornal "A Tribuna" de Santos, através do jornalista Fábio Marrach, em sua coluna "Jogo Aberto", também aborda com muita clareza muitas das mutretas do Sr. Luxemburgo, a começar do "pai de santo Robério de Ogum", também falcatruado pelo nosso herói (dizem, à boca pequena, que foi aí que começou o "inferno astral" dele, ou seja, seria uma praga do "Pai Robério". No creo en brujas..), e lembra ainda algumas negociatas envolvendo jogadores, exemplificando com o caso do jogador Arinelson, que de jogador medíocre, foi contratado pelo Santos por indicação de seu então técnico, como grande promessa (promessa de político...). Luxemburgo teria "levado" 30% do valor do passe...A Procuradoria da República, no Paraná, apurou e revelou negócios envolvendo a aquisição de carros importados de alto luxo, além de outras coisinhas...Há que se notar os misteriosos negócios envolvendo jogadores convocados para a Seleção Brasileira, que ápós as ditas convocações, aliás, que causaram estranheza por se tratar de jogadores de discutível qualidade técnica mas que, devido à convocação, foram tremendamente valorizados, sendo negociados a curto prazo por altos valores (como sempre, dedo de empresários conhecidos). Como exemplo, pode-se citar os casos de João Carlos (negociado com o Corinthians, agora na reserva do reserva), Cesar (para o Paris Saint Germain, que quer negociá-lo a qualquer custo), Evanilson (para o Borussia Dortmund. Evanilson, então tivera seu passe avaliado em R$ 550 mil, foi negociado por US$ 7 milhões, após um único jogo na seleção). Além dos citados, ainda podemos lembrar de Fábio Júnior, Roque Júnior, Christian e, o mais polemico dos últimos casos, o de Mozart, negociado com o Flamengo por quase 6 milhões de dólares.  Na maioria dos casos, tais jogadores foram convocados, aparentemente só para serem valorizados e negociados por empresários da "panelinha", pois após tais convocações e posteriores negócios, nunca mais foram lembrados.  Afinal, já haviam cumprido seu papel... Pergunta-se: O QUE HAVERÁ POR TRÁS DE TUDO ISSO ??? Se alguém souber, gostaria que dissesse.  Vamos ver no que dará isso.  

line1.gif (910 bytes)