Ser Atleta

por Marcial Salaverry

Por vezes lemos notícias que chamam a atenção, por exemplo, Gustavo Kuerten, após conquistar o Masters de Lisboa, que lhe valeu o título de nº 1 do mundo, disse: Eu me orgulho de ser brasileiro e sei que os brasileiros vibram com conquistas como essa. Para contrabalançar, Rivaldo, o craque do Barcelona, disse: Prefiro jogar pelo Barcelona do que defender a Seleção Brasileira.
Nessa diferença de atitudes, é se ressalta o caráter do atleta. Guga é uma estrela solitária, destaque em esporte que é, em sua essência, individualista. E por ser individualista, estimula o desenvolvimento do ego do atleta, que só depende de si para triunfar. Não tem apoio nenhum do Governo ou da Confederação, que só se lembra dele para parabenizar pelas vitórias. Mas de seus problemas físicos (que são muitos), Guga tem que se cuidar sozinho. Ninguém quer saber se ele está contundido ou não. Só quer saber de suas vitórias. E mesmo assim, ele mostra esse patriotismo todo, esse amor pelo Brasil. Basta que se veja o empenho com que ele defende o Brasil nas disputas da Copa Davis.
Enquanto isso, Rivaldo só sabe se queixar de que, "ninguém gosta de mim". Pobrezinho... Tão desprezado. Será que não é por atitudes como esta última? Não se esqueçam de que, enquanto Guga tem que se "virar" para resolver seus problemas físicos, Rivaldo tem na sua retaguarda todo o aparato médico hospitalar da CBF, digno de "Hospital 5 Estrelas". Se tem um dodóizinho, todos correm e mesmo assim, ele solta uma batatada dessas. Ora bolas, Rivaldo é um bom jogador, mas não está com essa bola toda não. Existem diversos que podem substitui-lo perfeitamente bem. Além do que, é cheio de não-me-toques, de probleminhas psicológicos (mais comumente chamados de frescura). E, como acabou de demonstrar, sem nenhuma dose de patriotismo. E para defender as cores de uma seleção, o atleta tem que ter aquele "algo mais". Não basta ser um craque.
Tem que ser um ATLETA.

line1.gif (910 bytes)