Esportes Amadores

por Marcial Salaverry

Coisa lamentável o que está acontecendo com o esporte amador no Brasil. Falta patrocínio, falta apoio da imprensa, falta apoio oficial, falta vergonha na cara.
O interessante é que temos atletas de ponta, em quase todas as modalidades esportivas, mas que estão sendo vencidos pelas dificuldades acima citadas.
No Atletismo podemos citar Sanderlei Parrela, Claudinei Quirino, Maurren Maggi, entre os mais cotados. Seria exaustivo citar todos os nomes. Existem muitos atletas que estão despontando entre os juvenis, que são excelentes atletas já tendo conquistado grandes vitórias, mas que já estão prevendo imensas dificuldades para continuar a carreira.
As dificuldades já começam para o treinamento. Praticamente não existe um local sequer adequado para o treinamento dos atletas. As pistas não permitem boas marcas. O Governo nada faz para estimular o desenvolvimento do Atletismo no Brasil.
A situação é idêntica em quase todos modalidades. O voleibol, seja de quadra ou de praia, também está enfrentando as mesmas dificuldades financeiras, as mesmas carências. Equipes são desfeitas porque os clubes não pagam os salários dos atletas.
Há que se notar que são modalidades esportivas que já conquistaram grandes títulos para o Brasil, e estão à deriva.
O mesmo ocorre com o basquete, com o futebol de salão, com a natação. Nossos nadadores e atletas até há pouco conseguiam recursos apara treinar no Exterior, mas agora nem isso. O que estará ocorrendo?
Podemos lembrar que um pouco antes das Olimpíadas de Sidney, os atletas e nadadores estavam prestigiados, a maioria com condições de treinar no Exterior, onde tinham condições de melhor desenvolver suas qualidades. Tanto o voleibol quanto o basquete estavam amparados por diversas firmas que patrocinavam os clubes.
Aí, surgiu a megalomania dos dirigentes de duas equipes que fecharam polpudos contratos de patrocínio com Bancos estrangeiros. Ante as vultosas somas colocadas à sua disposição, resolveram o Vasco da Gama e o Flamengo contratar quase todos os nomes de ponta de atletismo e natação, além de montar super times de voleibol e basquete. Por causa disso, algumas equipes foram desmanchadas e alguns patrocinadores desistiram do esporte.
Considerando que o dinheiro entrado foi mal empregado, tanto Flamengo quanto o Vasco entraram em crise. Não respeitaram os compromissos assumidos com os atletas, que ficaram sem receber os salários durante 3, 4, 5 ou mais meses.
Esses dirigentes irresponsáveis podem ser apontados como os grandes culpados pela atual situação caótica que vive nosso esporte amador. Com suas propostas mirabolantes, contrataram a torto e a direito, encerraram diversas equipes que estavam estruturadas.
O Vasco se autoproclamou "potência olímpica". E agora? Onde está a "potência olímpica"? Como estão os atletas? Infelizmente tais atitudes não são punidas.
Não seria o caso de se responsabilizar os dirigentes, usando seus bens pessoais para solver os compromissos assumidos com os atletas? Afinal alguém foi o responsável pelas contratações. Se for o clube, então que se confisque bens imóveis do clube. O que não pode é os atletas ficarem passando dificuldades, talvez pela incompetência, talvez por desonestidade, de pessoas irresponsáveis e megalômanas.
Não chega o prejuízo causado ao esporte nacional em geral, pelo desmonte de equipes estáveis, ainda mais o prejuízo irreparável causado aos atletas, que perdem principalmente a motivação para prosseguir.
E os atletas novos que estão despontando, como poderão encarar essa situação caótica?
Que estímulo poderão ter para prosseguir em suas carreiras? É desalentador.
Vamos ver o que vai acontecer daqui para a frente...

line1.gif (910 bytes)