Clássico

por Daniel Seabra

Chegou a hora boa do brasileirão, rodadas em que os grande se enfrentam. Agora irão ocorrer as chamadas brigas de cachorro grande, os clássicos, tanto regionais, quanto nacionais. E, como no Brasil inteiro, aqui em Belo Horizonte irão jogar, no próximo sábado, dia 6 de outubro, Cruzeiro e Atlético. Como sou mineiro, de Belo Horizonte, peço licença aos meus leitores para me ater a esse belíssimo clássico.
O maior jogo das Minas Gerais já tem muita tradição e muitas histórias. Por várias vezes, o Cruzeiro chegou ao clássico estando nas primeiras colocações da tabela e o Atlético lá embaixo, e vice-versa. Mas quando eles se encontram, sai faísca. Quem vence, na maioria das vezes, inverte sua situação no campeonato.
Para o clássico deste brasileirão, o Cruzeiro chega muito mal colocado, lá pelas rabeiras da tabela. Ainda sem o zagueiro Cris, que está servindo a seleção, e sem o colombiano Rincón, que foi expulso na última partida. Sem contar, é claro, a dispensa de Edmundo. Mas o time da Toca garante que vai entrar em campo disposto a vencer e começar uma reação no campeonato.
Já o Atlético, conhecido como galo mineiro, vem para o jogo em situação invejável. Está em primeiro lugar na tábua de classificação, tem o artilheiro do campeonato, o atacante Marques e ainda está em lua de mel com sua torcida, após as belas apresentações e o milésimo gol, feito por Marques contra o Goiás. Os atleticanos prometem invadir o Mineirão, e a equipe promete nova atuação de gala, culminando com uma vitória.
Vamos esperar, pois aqui em Minas não se fala em outra coisa. Realmente, quando a raposa e o galo se encontram, a cidade para. O Mineirão fica maravilhoso, pois a rivalidade das torcidas é imensa e, geralmente, elas lotam o estádio, ficando pau a pau no número de torcedores.
Que vença o melhor!

line1.gif (910 bytes)